Service 1

Controle de Pragas em Grãos Armazenados

Basicamente, podemos classifica-las em pragas primárias e secundárias: Pragas primárias: atacam grãos inteiros e sadios e podem ser identificadas como internas ou externas.

Pragas primárias internas: perfuram e penetram nos grãos para completar seu ciclo. Espécies relacionadas: Sitophilus oryzae, S. zeamais e Rhyzopertha dominica.

Pragas secundárias: não tem a capacidade de consumir os grãos inteiros, alimentam-se de grãos quebrados e de seus subprodutos como farinhas e farináceos. Espécies           relacionadas: Tribolium castaneum, Lasioderma serricorne, Oryzaephilus surinamensis e Cryptolestes ferrugineus.

Pragas primárias externas: consomem a casca do grão e depois parte do interior deste, normalmente somente os embriões, desenvolvendo-se fora do grão. Espécie relacionada: traça Plodia interpunctella.

Nossos profissionais especializados estão prontos para lhe atender.

Sinais de Perigo

  • Insetos vivos ou mortos
  • Danos em produtos armazenados, principalmente produtos alimentares
  • Vestígios de insetos, teias e casulos de traças

Danos potenciais:

  • Avarias nas Linhas de Produção
  • Aquecimento dos grãos – grãos contaminados com insetos podem aquecer e dar origem a problemas de humidade e bolores
  • Não conformidade com a legislação
  • Não conformidade com a legislaçãoContaminação de alimentos e mercadorias

Consequências para a sua empresa:

  • Prejuízos graves em produtos alimentares e estoques valiosos
  • Danos à imagem e reputação da sua empresa, clientes e resultados
  • Legal – não conformidade com a legislação

Desinsetização - O que deve ser feito:

  • Desinsetização - Aplicação de insecticidas profissionais para eliminar baratas
  • Inspecções regulares por técnicos especializados
  • Monitoramento periódico

 

Medidas Preventivas

Image 02

Algumas medidas preventivas contra:

Besouro Cathartus quadricollis e Carunchos

1. Medidas preventivas

1 - Armazenamento com nível de umidade adequado;
2 - Higienização e limpeza de silos, depósitos e equipamentos;
3 - Eliminação de focos de infestação mediante a retirada, queima ou expurgo dos resíduos do armazenamento anterior;
4 - Pulverização das instalações que receberão os grãos, usando-se os produtos indicados, nas doses registradas e recomendadas;
5 - Evitar a mistura de lotes de grãos não infestados com outros já infestados, dentro do silo ou armazém.
6 - Identificação das espécies que causam problemas – vai necessitar de ajuda profissional
7 - Aplicação de inseticidas específicos para o controle de insetos em produtos armazenados
8 - Contratação de serviços contínuos para o controle de insetos e prevenir a ocorrência de novas infestações
9 - Promover limpezas regulares e estratégicas, conjuntamente com tratamentos adequados
Ações de formação dirigidas aos colaboradores
2. Tratamento curativo
Sempre que houver a presença de pragas nos grãos, deve-se fazer o expurgo, usando fosfina. Este processo deve ser feito em armazéns, em silos de concreto, em câmaras de expurgo, em porões de navios ou em vagões, sempre com vedação total, observando-se o período mínimo de exposição de sete dias para controle de todas as fases das pragas e a dose indicada do produto.